Manifesto em defesa dos Mestres: Nós temos o direito de nos divertir também!

Antes de mais nada, gostaria de alertar que este artigo já leva em consideração os deveres dos Mestres de RPG. Ele deve divertir os jogadores, ouvi-los acerca dos seus desejos, dialogar com eles antes de começar a campanha, contemplar seus personagens inserindo-os na trama, não ser tirano na aplicação e interpretação das regras e estar aberto a sugestões. Os jogadores não são súditos do Mestre a fazer somente sua vontade, muito menos os personagens dos jogadores são vítimas dos monstros e vilões dele e nem expectadores diante dos seus NPCs (erro mais comum e extremamente infantil)[1]. Todavia, a questão dos

Ler mais