...

«

»

mai 02

Abrindo a Caixa – The Shadowfell: Gloomwrought and Beyond Boxed Set

Fomos muito sortudos de conseguir uma das primeiras cópias da próxima caixa de D&D chamada The Shadowfell: Gloomwrought and Beyond (O Pendor das Sombras: Trevas Forjadas e Além) para abrir e mostrar a todos vocês hoje. Ela vem embalada em uma fina caixa, do mesmo tamanho da Red Box (caixa vermelha básica) e vem com um volumoso Guia de Campanha de capa mole com 127 páginas, um Livro de Encontros com 31 páginas, duas cartelas de marcadores, um pôster com um mapa de Trevas Forjadas de um lado e um mapa de encontro no outro e um baralho do Desespero ( Despair deck ) com 30 cartas.

 

Os Livros

A primeira coisa que notei dentro da caixa foi o tamanho do Guia de Campanha. Apesar de ser capa mole (a capa é feita de um material muito bom), ele tem 127 páginas, apenas 30 páginas a menos do que os menores livros de capa dura lançados pela Wizards of the Coast para a 4ª Edição ( Guia do Jogador de Forgotten Realms e Guia do Jogador de Eberron , por exemplo). Dentro do livro, as 12 primeiras páginas são dedicadas a mestrar e jogar D&D no cenário do reino dos mortos, incluindo algumas ideias para aventuras no local e novas regras para o baralho do Desespero. Depois, temos 50 páginas sobre a assim chamada “Cidade da Meia-noite”, Trevas Forjadas, incluindo tudo o que você gostaria de saber ao mestrar um jogo que envolva a cidade. Esta parte do livro inclui as várias facções dentro da cidade, descrições detalhadas dos vários distritos que fazem parte dela, e imagens de referência do mapa maior incluído na caixa.

A seguir, o livro apresenta 30 páginas sobre as áreas do Pendor das Sombras ao redor de Trevas Forjadas, intituladas de “Além das Muralhas”, que inclui lugares como o Pântano do Esquecimento ( Oblivion Bog ), a Cruz do Morto ( Dead Man’s Cross ) e as Montanhas do Domínio Sombrio ( Darkreach Mountains ). A seção que talvez seja mais importante é a que detalha o reino de Letherna, onde a entidade mais poderosa do Pendor das Sombras, a Rainha Rapina, mora e atrai as almas dos mortos. Fiquei bem feliz com cada seção que li do livro, o conteúdo e a escrita me lembraram dos livros Plane Above e Plane Below , que são os meus favoritos desde o lançamento da 4ª Edição e serão sempre utilizados nas campanhas e planejamento de aventuras nos próximos anos. Fiquei extremamente satisfeito com um livro deste calibre sobre o Pendor das Sombras, especialmente com o provável adiamento do cenário Ravenloft , uma vez que este livro fornece muito conteúdo que segue a mesma linha do que eu esperaria em Ravenloft (mas tem uma SENSAÇÃO diferente quando tem a palavra Ravenloft na capa).

As últimas 25 páginas do livro são, sem surpresas, onde as novas criaturas/monstros são apresentados! Logo percebi e gostei de como eles apresentaram os monstros de forma um pouco diferente neste livro, em grupos tais como a Vigia Eterna ( Deathless Watch ), a Guarda de Ébano ( Ebony Guard ) e a Garra Fantasma ( Ghost Talon ). Cada um desses grupos é constituído principalmente de humanoides, mas apresenta um estilo de “capanga” que pode facilmente representar um personagem de qualquer raça que siga cada ordem. Também são apresentados alguns golens bem apropriados (apesar de serem um pouco bobos), como o Golem da Muralha ( Wall Golem ), o Golem da Rua ( Street Golem ) e o Golem da Forja ( Hearth Golem ). Os misteriosos Vigias das Trevas Forjadas ( Keepers of Gloomwrought ) são mais detalhados aqui, assim como alguns outros cultos e cabalas que estão difundidas na cidade e no plano. Por ultimo, mas não menos importante, existe mais um punhado de personalidades definidas, apresentadas com históricos e blocos de estatísticas, variando de humanos e elfos até vampiros e fantasmas que se tornaram personalidades importantes dentro de Trevas Forjadas e do Pendor das Sombras.

O Livro de Encontros apresenta uma ampla variedade de encontros e desafios de perícia para personagens entre o 7º e o 23º nível. Os elementos são apresentados em ordem de nível e o livro possui uma boa mistura de encontros e desafios de perícia que apresentam uma ampla variedade de situações que podem ocorrer dentro do reino dos mortos. Apesar de não ter tido uma chance de jogar ou mestrar nenhum dos encontros, eu li alguns deles e acho que eles serão ótimos itens para se ter a disposição e colocar nas aventuras quando for necessário ou para ajudar o planejamento. Prestei uma atenção particular aos desafios de perícia e, apesar deles serem apresentados da mesma forma que sempre foram, fiquei surpreso com alguns deles que incorporaram elementos de interpretação e mudanças de situação dentro da mecânica dos desafios de perícia. Os encontros parecem incluir uma boa variedade de locais, situações e, mais importante, monstros que variam de fanáticos e cultistas até vampiros, fantasmas e esqueletos.

 

Marcadores e Mapas

Num primeiro momento, fiquei desapontado com o mapa-pôster que tinha apenas um mapa de encontro em um dos lados, mas depois de ler o Guia de Campanha, ver os detalhes de Trevas Forjadas e os pedaços destacados do mapa dentro dele, posso claramente ver como o mapa maior da Cidade da Meia-noite pode ser um grande recurso para o Mestre que realize um conjunto de aventuras extenso dentro da cidade. Sendo assim, ainda adoraria ter um mapa adicional com ainda mais locais de encontro para acompanhar as aventuras no Pendor das Sombras, uma vez que não existem mapas “Escuros e Tenebrosos”.

Sei que existem muitas controvérsias sobre os marcadores que a Wizards tem lançado recentemente e o cancelamento da produção de miniaturas, mas tenho que dizer que os marcadores incluídos na caixa são ótimos.  Para iniciantes, cada um pode ser virado para representar o mesmo monstro quando estiver sangrando. E mais, os marcadores possuem o nome do monstro na parte de trás, para ajudar a identificar cada marcadores com mais facilidade. As duas cartelas incluem 12 marcadores grandes e vários marcadores médios incluindo cinco marcadores genéricos de “Lacaios”. O que realmente me convenceu nesses marcadores foi que eles incluem os personagens definidos, que são ótimos para representar vilões únicos (algo que eu não tinha percebido em nenhum dos marcadores anteriores), mas principalmente, os marcadores incluem muitos personagens e monstros que são apresentados no Livro de Encontros, o que significa que se alguém comprar a caixa e não tiver uma coleção de miniaturas robusta, eles não precisam se preocupar muito em representar as coisas se decidirem mestrar um encontro do livro.

 

O Baralho do Desespero

Para mim, este é o produto que posso finalmente mostrar para as pessoas quando elas reclamam sobre “cartas colecionáveis em D&D” e dizer que acredito que elas adicionam algo realmente e extremamente divertido ao jogo. Deixe eu me expressar de novo, porque é engraçado falar: Eu adoro o baralho do Desespero! O baralho é inteligentemente separado em três categorias – Apatia, Medo e Loucura. Cada carta possui como titulo uma emoção/sentimento muito específica que entra em sua categoria. Algumas das cartas incluem Distraído, Desajeitado e Incorrigível para Apatia, Paranoico, Insônia e Fobia para Medo, e Temerário, Iludido e Ciumento para Loucura. Cada carta possui uma citação bem curta que pode ajudar o jogador a ter uma ideia melhor sobre como eles deveriam se sentir ou agir com tal carta, seguida por um efeito geralmente ruim que a carta impõe ao personagem. As penalidades que o Baralho do Desespero causa variam de menores para maiores, de especificas para relativamente gerais, mas de forma geral eu realmente gostei de como elas são adicionadas ao jogo. Os efeitos incluem coisas como -4 de penalidade na iniciativa (Distraído), -2 de penalidade na Vontade (Paranóico) e a incapacidade de usar Retomar o Fôlego, uma ação de defesa total ou a ação de primeiros socorros (Temerário).

As regras para o Baralho do Desespero são: cada jogador compra uma carta aleatória do baralho depois de fazer um descanso estendido dentro do Pendor das Sombras (ou em qual quer área que imponha sentimentos extremos de Apatia, Medo ou Loucura nos personagens). Os personagens sofrem o efeito da sua carta de desespero até o próximo descanso estendido, mas cada vez que eles atinjam um marco, eles podem fazer um teste de resistência para superar o efeito de desespero. Cada uma das cartas possui uma Perícia Chave listada: caso o personagem seja treinado naquela perícia, ele recebe +2 de bônus em seu próximo teste de resistência para superar o efeito.

Agora vou dizer a parte dessas cartas que REALMENTE gostei. Cada carta pode ser girada em 180º, listando uma Vantagem que é adquirida assim que o personagem superar o efeito de desespero. Cada bônus é basicamente o oposto exato da penalidade que a carta de desespero causou. Num primeiro momento, algumas das cartas podem parecer bem mais prejudiciais do que outras, como a de -2 na Classe de Armadura ser bem pior do que a de penalidade nos testes de perícia durante a luta. Contudo, quando tal carta pode ser superada para fornecer +2 de bônus na Classe de Armadura, acho que cada carta se torna relativamente balanceada por causa das maiores recompensas por maiores penalidades. Certamente, como sempre, o Mestre deve ficar de olho para garantir que um jogador não seja penalizado demais por conta do azar, mas mesmo nesta situação, se o jogador estiver realmente estiver ligado no jogo, ele pode ter um grande momento psicológico para interpretar o seu personagem e melhorar a atmosfera para todos no jogo. O que acontece quando o nobre clérigo é dominado por uma temeridade insana e faz uma investida no combate, se recusando a curar seus aliados? O que acontece quando o valente cavaleiro é completamente dominado pelo medo e fica incapaz de defender seus amigos?

O Baralho do Desespero possui três cartas variadas que adicionam um pouco mais de aleatoriedade e sorte ao baralho, com efeitos como comprar uma carta de desespero adicional ou ser infundido com um espirito indomável e descartar as outras cartas de desespero. O elemento que realmente gostei nessas cartas foram as categorias, uma vez que logo na ultima semana, enquanto estava olhando a caixa, também estava planejando a primeira aventura da minha campanha no Abismo. Como teste, decidi usar as cartas de Loucura e Medo do baralho e dei aos jogadores depois do primeiro encontro da aventura. Realmente gostei de como elas funcionaram, apesar de desejar que tivéssemos as incorporado ainda mais em várias aventuras, mas acho que o potencial de personalização do baralho do desespero é realmente legal. Também é divertido para mim, pois esses são os tipos de carta que eu mais quero e são aquelas que não terão nenhuma expansão disponível, como pacotes adicionais. Não digo que quero a Wizards lançando pacotes adicionais de cartas de desespero, mas tenho a esperança de que eles lancem futuros conjuntos de cartas dentro das três categorias desse baralho, assim como adicionar mais categorias para acompanhar outros tipos de ambientes.

Aqui temos algumas imagens adicionais do conteúdo da caixa.

 

 

A caixa The Shadowfell será lançada em 17 de maio pela Wizards of the Coast.

Link original: http://critical-hits.com/2011/04/25/unboxing-the-shadowfell-gloomwrought-and-beyond-boxed-set/

Por Danny “Bartoneus”
Tradução: Gilvan Gouvêa

***

 

2 comentários

  1. 1
    Patesi

    Muito interessante. As cartas parecem ter sido bem implementadas.

  2. 2
    Guzzon

    Achei a idéia das cartas fantástica… vou procurar esta caixa.

Deixe uma resposta

Get plugin http://www.fastemailsender.com