Natal para nós, fãs de RPG

“Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte de Deus, pelo profeta, que diz; Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, que traduzido é: Deus conosco.” (Mateus 1: 22-23).

Chegamos a mais um Natal. As lojas e as casas estão decoradas, a televisão anuncia e especiais de fim de ano se aproximam. As campanhas de alguns grupos de RPG sofrerão uma pausa por falta de horário, outras vão ocorrer assim mesmo, talvez pelo fato de que o feriado caiu no fim de semana ou mesmo porque propiciará um encontro entre jogadores.

Mas o que dizer aos amigos que me leem? O que falar sobre o Natal? É redundante falar que é o nascimento de Cristo. Talvez muitos concordem que o comércio “coisificou” tudo, transformando-o num pretexto de expansão capitalista. Possivelmente, a maioria também sabe que Jesus não pode ter nascido em dezembro, e que a data em questão é uma construção romana bem posterior ao século I[i]. Alguns podem até rejeitar ou escarnecer do Natal por este motivo.

Os feriados (e não apenas o Natal) há muito perderam seu significado. São, quase sempre, um dia de folga. Reúne-se a família e os amigos para comer, beber e divertir (jogar RPG…). Claro, não há nada de errado nisso, a vida não é só trabalho (ou, não deveria ser), mas, pra exemplificar, já vi gente fazendo churrasco no Dia de Finados. Apesar de, pela minha convicção religiosa e filosófica, não prestar nenhuma reverência ou oração aos mortos (restringindo-me ao respeito pela família dos que ficaram), acho isto de um tanto macabro. Quase um humor negro.

Isto porque os feriados, creio eu, podem servir como pontos de reflexão. Esqueçamos as cerimônias, as festas e as solenidades (a não ser que sejam importantes pra você: neste caso, viva-as intensamente!). O que podemos aprender nesta data? Que lições podemos tirar? Como numa aventura de RPG na qual, além de matar monstros, sobrepujar armadilhas e derrotar o vilão, tiramos uma lição da história fictícia que construímos na mesa de jogo, o que o Natal tem para nós além do Papai Noel e do Presépio?

Na passagem que inicia o artigo, o evangelista revela que a profecia (no caso, de Isaias 7:14) de uma virgem concebendo Emanuel se confirma. Comemoraremos este acontecimento: a virgem concebeu, Deus está conosco. Independente da data, perdida nas areias intransponíveis do tempo que nem mesmo eu e meus irmãos historiadores conseguimos transpor, o significado é: Deus foi trazido ao mundo por uma pessoa.

O que trazemos, portanto, ao mundo como seres humanos? Trazemos o Cristo, na figura da paz, do amor, do respeito ao próximo? Podemos gerar Emanuel em nós e para nossos amigos, vizinhos e familiares?

A resposta é sim. Independe de nossa religião. Independe de a data ser construção romana ou não.  Independe de ter se tornado mero pretexto capitalista.

Só depende de nós.

Portanto, aproveite esta data, não pelo mero dia em si, mas pelo que ela se propõe a despertar em nossos corações. Passe a noite com seus familiares e seus amigos, num contexto semelhante ao que Jesus nasceu. Presenteie a quem você ama, não pela data, mas porque você tem apreço por estas pessoas e deseja fazer-lhe um afago, como fizeram os Magos com Jesus. Visite um orfanato, como Jesus aconselha a cuidar dos pequeninos. Brinque e divirta-se. Jogue RPG! Faça tudo isso junto. Ou algo novo, algo que leve o respeito e a felicidade a você e seus semelhantes.

Que Deus possa ser gerado por você e para seus familiares e amigos.

Que Deus abençoe seu Natal, não a data, mas o significado. São os sinceros votos meus e da Equipe da REDERPG.



[i]  Não, sem referências bibliográficas e normas da ABNT. Hoje não amigos. É Natal!!!!!

 

“Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.” (João 1:4)

Silva Pacheco.
Sem titulações hoje. Somente um cristão refletindo com seus colegas de RPG.

***

Share This Post
Written by Shophetim
Mestre em História Comparada pela UFRJ, pesquiso Serviço Secreto, Polícia Política, Espionagem e Repressão (Polícias Federal, Civil e Militar) no Brasil Contemporâneo. Autor de Agadá RPG. Professor de História dos Hebreus, Antigo Testamento e Angelologia.

Leave a Reply