in

Oz, Mágico e Poderoso. O que falar?

Este filme faz parte desta nova onda de adaptações de contos de fadas. Começou de uns cinco anos ou menos para cá. O primeiro filme da saga Crepúsculo pode ser considerado um marco desta nova onda. São filmes que às vezes tentam apelar para um público mais adolescente ou podem também tentar fazer algo mais geral que agrade diversas faixas etárias.

É inevitável comparar Oz como o filme Alice no País das Maravilhas de 2010. Ambos os filmes são dirigidos por bons diretores e realizados pela Disney. A estética também é similar. Mundos extremamente coloridos e fantásticos, personagens humanos que chegam em um outro mundo. Duvido que Oz será o último filme desta onda.

Oz Poster
Oz Poster

Quando sai do cinema achei que Oz fosse superior a Alice, mas pensando melhor, não sei se vejo tanta diferença. A história dos dois filmes é similar. O herói chega ao novo mundo e preciso enfrentar uma série de resoluções até atingir o final positivo. Faz alguns aliados e inimigos no decorrer da história e ao final concretiza seu objetivo. Ambos os filmes não se arriscam muito e no final, são bem previsíveis. São filmes que não podem ter erros. Pelo menos se pensarmos como os produtores de Hollywood. Mesmo que seja Sam Raimi o diretor, ele não pode fugir muito de uma narrativa agradável e clara. Não há duvida que somos enganados e no final simplesmente estamos ajudando executivos do outro lado do mundo há ficarem cada vez mais ricos.

Se desconsiderarmos esta triste situação, pelo menos percebemos que Sam Raimi saiu-se melhor do que Tim Burton. Oz carrega muito mais marcas de Sam Raimi do que Alice de Tim Burton. Constrói-se um tom de ironia em relação ao protagonista, que no fundo não passa de um gigantesco enganador. O filme tem alguns diálogos inteligentes e cômicos e algumas vezes surpreende. De modo geral, o roteiro é razoável para bom. Não passei por nenhum momento de constrangimento mais sério. Os atores trabalham bem. James Franco é um dos melhores atores da nova geração e as atrizes femininas seguram bem os seus papéis. Todo o visual do filme é legal. Fora que podemos visualizar de um novo modo uma série de personagens clássicos. Adorei ver os babuínos alados mais uma vez. Em alguns momentos vemos ecos de filmes antigos de Raimi e seu horror cômico. Raimi fez o que pode para conseguir impor sua visão em Oz.

Oz é razoável, mas mesmo com os esforços de Sam Raimi não passa de um filme mediano. Não espere um roteiro pessoal ou autoral ou uma narrativa realmente poderosa. Como tantos outros filmes de grandes diretores que acabam baixando o nível por grana, este filme  só engana. Ele pode até tentar algumas tímidas ousadias, mas no fundo Raimi está de mãos atadas. O que deixa tudo um pouco mais desanimador. Até mesmo o terceiro Evil Dead, o piorzinho dos três é ainda muito mais divertido do que este Oz.

Por Marcelo Molinari
notaspaulistanas.blogspot.com.br 

Deixe uma resposta

RPGBrasil.Org Assinatura

D&D Next – O novo velho dragão