in , ,

RPG de mesa e RPG nos videogames: qual a diferença?

Olá, galera! Meu nome é Vinicius e hoje vim aqui na REDERPG, para falar um pouco sobre RPG de mesa, pois já faz um tempo que venho percebendo que muitas pessoas conhecem o RPG nos consoles e se perguntam o que tem de diferente eu jogar meu Dark Souls 2 e meu Dragon Age no videogame? É RPG do mesmo jeito, não é mesmo? Na verdade, tem muitas diferenças, mas para não ficar muito longo, vou colocar cinco diferenças que parecem pequenas, mas que no final deste artigo peço que reflitam sobre:

1) A criação do personagem
2) A interpretação do personagem
3) O grupo de amigos
4) A gama de escolhas e o mundo aberto
5) A única barreira no mundo é a sua imaginação

1) A criação do personagem: Quando falei sobre isso com um amigo que viciado em videogame ele me disse: “Mas nos RPGs como Skyrim eu crio meu personagem, como ele vai ser e tudo mais, e ainda vou modificando ao passar do tempo com as árvores de habilidades”. Sim, e é verdade que tem muito jogos que deixam você criar um personagem. Mas você fica limitado às fermentas que o jogo te proporciona, enquanto no RPG de mesa você é livre para criar altura, peso, voz, cor do cabelo e olhos. Não há limites para a criação, e sua mente é livre para ir aonde quiser e das maneiras que quiser.

2) A interpretação do personagem: Nos jogos de RPG dos consoles ou PC, eles podem até dar a ilusão de que você cria ou que você tomou aquela decisão, e que ela vai ter uma importância na história. Meu colega me disse: “Mas eu faço as escolhas no Skyrim e em Dragon Age!” Sim, verdade, mas quem nunca se perguntou: “Nossa, se eu pudesse eu faria isso!” E é justamente o “isso” que nos games você não pode fazer, que no RPG de mesa você pode! O que te limita é a sua imaginação e sua sorte ao jogar os dados.

3) O grupo de amigos: Esta é uma questão importante, pois o grupo de amigos faz uma diferença gigante entre um bom jogo e um jogo espetacular! Todo bom grupo tem alguns tipos de jogadores bem específicos: o cara das regras, o piadista, o bárbaro, o paladino da mesa, o descrente, etc. Em outro artigo eu falarei dos tipos de jogadores, mas essa galera junta cria cenas e acontecimentos que serão divertidos e lendários para todo sempre! E sempre que alguém falar de RPG, a primeira coisa que virá nas mentes dos jogadores dos amigos serão as cenas hilárias ou até mesmo os feitos incríveis de cada jogador, como por exemplo um personagem meu que matou um gigante com um sucesso decisivo e esse mesmo personagem pediu a barba de um anão para fazer uma corda! Foi no mínimo hilário e épico, e esse tipo de cena só acontece na mesa de RPG.

4) A gama de escolhas e o mundo aberto: No RPG de mesma existe o Mestre de Jogo. Ele já sabe que nem sempre os personagem as escolhas que ele fazem implicam no andamento da história, e com isso os caminhos vão mudando em relação ao que ele tinha imaginado, e assim tem que mudar tudo! Mas isso não é problema. Nos jogos de RPG dos videogames temos as paredes invisíveis onde não podemos passar nem fazer nada. No RPG de mesa isso não existe! Temos uma gama de universos que podemos jogar que não tem fim. Tudo podem os jogadores e os mestres, o mundo é aberto para vocês vasculharem e analisarem tudo, sem medo, sem barreiras invisíveis.

5) A única barreira no mundo é a sua imaginação: Sua imaginação é sua única limitação! Crie, invente, comente, leia, etc. Tem Mestres que gostam que seus jogadores deem ideias, comentem sobre a sessão, o que ficou de fora, o que seria legal, etc, pois o jogo visa à diversão e a interação dos jogadores. Sempre pode se fazer novos amigos e tudo é possível quando se junta pessoas que só querem se divertir jogando um pouco de RPG.

Galera, é isso!
Reflitam sobre isso e… Bom jogo e muitos sucessos decisivos!

Por Vinicius

imaginaçãoimaginação

Deixe uma resposta

Lenda dos Cinco Anéis é comprada pela Fantasy Flight Games!

Obscura da Redbox: o que vem por aí!