Você pode continuar amando D&D 5a e se apaixonar por Pathfinder 2ª Edição!

Imagem da capa do Pathfinder 2ª Edição em português.

Eu nunca gostei do Pathfinder. As artes do Wayne Reynolds são fantásticas, o playtest aberto foi a coisa mais genial no RPG desde a Licença Aberta de Jogo e o modelo de negócio – lançando apenas um suplemento de regras por semestre, os outros são cenário e aventura – é excelente! A Wizards inclusive copiou o playtest e se baseou no mesmo modelo de negócio para a 5ª Edição de D&D.

Mas a primeira edição do Pathfinder para mim era um “3.5 com esteroides”: eles elevaram o nível de poder, mas não resolveram de fato os problemas da 3.5. E, mais adiante, ainda acrescentaram outros penduricalhos, como classes avançadas.

Com o tsunami que o D&D 5ª Edição causou no mercado mundial de RPG – não apenas retomando a liderança perdida para o Pathfinder, mas também elevando o hobby a patamares nunca antes alcançados – estava na hora de uma nova edição do Pathfinder, para não somente manter uma segunda colocação, mas, principalmente, criar uma alternativa. E eles conseguiram!

Contudo, no RPG, existir uma alternativa não exclui a primeira opção. Você não precisa escolher entre um e outro: jogue os dois! Você pode continuar jogando D&D e também jogar Pathfinder. São duas abordagens diferentes da mesma forma de jogar jogos de fantasia. Uma não inviabiliza a outra ou a substitui, porque possuem diferenças, assim como existem vários tipos de cenários de fantasia bem diferentes entre si, e você não precisa ficar preso a apenas um.

D&D 5ª Edição é mais simples, uma síntese do que de melhor todas as edições anteriores de Dungeons & Dragons tiveram. Ele é acessível e tem um combate rápido, ótimo para introduzir iniciantes no RPG. Além de ser D&D, com tudo e o charme que D&D sempre teve!

Pathfinder 2ª Edição é uma evolução e ao mesmo tempo uma mudança em relação à sua primeira edição. Ele é mais simples que a primeira edição, mas mantém a grande variedade de opções para criação de personagens. Além disso, essa nova edição racionalizou várias regras (o que eu adorei), mas também, ao mesmo tempo, manteve um combate mais encorpado sem que ele se torne lento. Exceto pela magia, tudo agora é comprado via talentos, o que oferece um enorme variedade de combinações e, com isso, personagens de um mesmo arquétipo completamente diferentes.

Como se diz, são duas pegadas bem diferentes.

É por isso que, enquanto planejo adaptar o meu Reia para D&D 5ª Edição, por perceber que a proposta mais minimalista do cenário se adequará ainda melhor a ele do que foi com a edição 3.5, percebi que o Pathfinder 2ª Edição é mais adequado para um cenário com uma maior variedade de opções, como é o caso do Crônicas da 7ª Lua, que ganhará uma nova edição pela New Order usando as regras do novo Pathfinder.

Portanto, se você não participou do financiamento coletivo do Pathfinder e agora está arrependido disso, não se preocupe: em breve acontecerá o Late Pledge dele e você terá uma nova chance de adquiri-lo.

Por Marcelo Telles
Editor da REDE
RPG

Imagem da capa do Pathfinder 2ª Edição em português.

Share This Post

Leave a Reply