Sim, eu hoje prefiro jogar RPG via online do que presencial!

Aqueles que leram meu artigo Eu passei a jogar online… E gostei!, sabem que eu tinha uma certa aversão a jogar RPG de mesa via online e só me rendi finalmente por conta da Pandemia. Pois bem, hoje eu confesso nessas linhas: eu passei a preferir jogar via online do que presencial!

Em breve, os Encontros Mensais da REDERPG voltarão, com todos os protocolos sanitários necessários, e com eles as mesas de RPG presenciais para mim. Muito provavelmente, a mesa que eu jogar ou mestrar a cada encontro será a única mesa presencial da qual participarei. Uma única mesa presencial, enquanto continuarei com as muitas mesas online que jogo hoje.

Mas o que me fez passar a preferir jogar online do que presencial? Vamos lá…

O tempo é precioso!

Jogar presencial, normalmente, significa jogar às sextas ou finais de semana, o que pode criar impedimentos por conta de outros programas que possam surgir, além de você precisar de tempo para o seu relacionamento, outros amigos e família. Mesmo que a pessoa com quem você namora ou é casado jogue junto com você, vocês ainda vão querer fazer outras coisas juntos, e o RPG, em vez de unir, pode acabar sendo uma fonte de conflito.

Há casos mais raros de mesas presenciais que acontecem no meio da semana à noite, quando os horários de todos os participantes permitem, mas mesmos essas podem ter os mesmos problemas e outros, como um participante ficar preso no trabalho por conta de alguma reunião.

Mesas presenciais significam que, no mínimo, a maioria dos participantes tem que se deslocar para algum lugar, alguém pode atrasar e a mesa, muitas vezes, não pode durar até muito tarde, especialmente se for durante a semana. Ou seja, mesmo se o tempo de jogo não for muito curto, existe o deslocamento dos jogadores para o lugar da sessão e eventuais contratempos por conta disso.

Jogar via mesas virtuais e aplicativos faz você ganhar tempo de várias formas: poupa o tempo de deslocamento, joga-se em horários que não geram conflitos com outros compromissos e programas, e você ainda estará no conforto do seu lar, à vontade, com a possibilidade de fazer outras coisas enquanto joga.

Jogar RPG via online gera uma grande otimização do seu tempo, e tempo é o que há de mais precioso!

Jogar com pessoas em qualquer lugar do mundo!

As mesas virtuais vieram resgatar grupos de jogo que se separaram por motivos alheios à vontade de seus participantes: mudaram de cidade ou mesmo de país e a falta de tempo citada acima, por conta de trabalho, formarem família, filhos etc.

Por tabela, possibilitaram também que pessoas que moram em lugares distantes e que se encontravam apenas uma vez por ano em algum grande evento de RPG ou que se conheçam apenas pela internet, a jogarem juntas.

Enquanto as mesas presenciais acabam restringindo você a um universo social geograficamente mais próximo, as mesas virtuais te permitem jogar com pessoas do mundo inteiro! Assim, a gente pode jogar com aquele Mestre de Jogo ou Narrador incrível que você admira ou com aquele jogador que você sabe que manda bem, mas que mora em outro estado ou mesmo outro país.

Jogar os RPGs que você não teria chance de jogar!

O maior problema dos grupos presenciais é que eles tendem a ter um leque restrito de RPGs que vão jogar. Quantas vezes você quis mestrar determinados RPGs e seu grupo não se interessou? Quantas vezes você quis jogar algum RPG e ninguém quis mestrar? Quantas vezes você procurou na sua cidade por alguém para jogar aquele RPG pouco conhecido que você ama e não encontrou um grupo?

Pois bem, jogar via online permite que você experimente aqueles RPGs que dificilmente teriam espaço em sua mesa presencial, permite que você encontre os melhores Mestres de Jogo desses mesmos RPGs, além de existirem servidores no Discord voltado para RPGs específicos. Foi jogando online que encontrei meu querido Mestre de Jogo, Diego “Alemão”, e nossa campanha online de Yggdrasill – o maravilhoso RPG sobre Vikings lançado em português pela New Order – está prestes a completar um ano!

Dê uma chance para você mesmo!

Eu entendo que muitos de vocês não vejam graça em dar um click em vez de ter o prazer de jogar um dado. Eu entendo que muitos de vocês sintam falta da bagunça ao redor de uma mesa e de toda interação social real. Mas deem uma chance a vocês mesmos aos jogos pelas mesas virtuais. Vocês só têm a ganhar e, quando voltarem a jogar presencial, terão duas formas incríveis de curtir bons momentos com o nosso hobby!

Por Marcelo Telles
Editor da REDE
RPG

P.S.: Eu também mestro via online. A imagem do artigo é de uma aventura em três partes que eu mestrei do meu RPG, EPIFANIA: Deuses em Nós, para o canal RPG Next. Vocês podem conferir, logo abaixo!

 

 

 

 

Share This Post
2 Comments
  1. Marcelo, obrigado pelo texto! E vou te falar que concordo. Eu voltei a jogar RPG na pandemia e nunca joguei tanto como tenho jogado, além de ter bem mais vontade de jogar também. Claro que a interação do cara a cara é muito melhor e nada substitui, mas é como você citou no texto, por que não jogarmos online e quando nos reunirmos presencialmente termos outra programação? Ou jogar jogos completamente analógicos como jogos de tabuleiro, beber e jogar conversa fora, enfim! A questão é que no meu cantinho é muito melhor de “gerenciar a imersão” do jogo, tenho sons de efeitos organizados, playlists com músicas e trilhas, uso o Foundry como VTT que é incrível e ainda posso transmitir se quiser para outras pessoas verem e interagirem com isso tudo. Tem uma certa curva de aprendizado, mas depois que a atravessamos, é só recompensa. Fora tudo o que já foi dito no texto.

    Antes de fecharmos nossas mentes, vamos testar as novas possibilidades e nos abrir verdadeiramente pra elas. No fim o RPG é uma ferramenta de socialização e essa questão de estar conhecendo pessoas de outros estados (ou até países) tem sido muito bom pra mim. Podemos até argumentar que tem como arranjar gente tranqueira também, mas no meu caso, tem sido minoria. Abraço!

    • Obrigado, Matildo, tamo junto! Seu comentário complementou bem o texto! :-) <3 <3 <3

Leave a Reply