in

João e Maria: Caçadores de Bruxas

É difícil escrever e ou mesmo ver um filme com um nome não muito convidativo, mesmo em inglês o nome Hansel and Gretel também não soa muito melhor. Pelo título imaginei alguma coisa mais bobinha com muitos docs filmes adaptados de contos de fadas. João e Maria: Caçadores de Bruxas escapa bastante da temática familiar destes filmes.

Gostei mais do que todas as adaptações de contos de fadas que já vi. O roteiro é ágil e carregado de violência. Li que o diretor tentou trazer para o filme a sensação de brutalidade dos contos de fadas tradicionais. Eu já escrevi sobre isto antes, mas não posso afirmar que o diretor tenha alcançado totalmente o tom visceral das fábulas antigas, que lidavam principalmente com medos profundos e temas universais. Entretanto, ver uma bruxa selvagem e insana esta mais próximo destas temáticas primitivas.

Os críticos não gostaram do filme, mas o sucesso de público foi grande. Desta vez eu tenho que concordar com a sabedoria popular. O diretor conseguiu criar uma visualidade muito interessante, com bruxas piradas e cheias de habilidades legais sem cair para o ridículo. O filme tem um troll que não é feito em computação gráfica que eu também gostei. As armas e toda a concepção de imagens foram bem feitas.

Achei o roteiro bem solto e pessoal. O diretor adaptou a lenda de João e Maria para um público adolescente e adulto. Há muitos palavrões e até algumas conotações sexuais no filme. A violência é aberta e em alguns momentos cai para o cômico. Um crítico escreveu que as bruxas não tem profundidade, mas não sei se isso seria um problema em um filme como este. O roteiro do filme cumpre o papel de guiar a ação com objetividade.

Tommy Wirkola, o diretor, conseguiu criar um filme rápido e divertido. Embora escreva críticas, sou o primeiro a afirmar que críticas não podem ser levadas muito a sério. Muitas vezes é até melhor esquecer um pouco o trabalho da razão e deixar ser levado pelas imagens. Este diretor faz um trabalho que lembra os filmes de Stephen Sommers, o diretor de A Múmia. João e Maria: Caçadores de Bruxas mostra como tantas pessoas que criticam filmes em redes sociais acabam caindo para sensos comuns como se todos os filmes norte-americanos fossem horríveis produtos de consumismo. Uma boa aventura não faz mal a ninguém.

Por Marcelo Molinari
notaspaulistanas.blogspot.com.br

Deixe uma resposta

HOBBITCON 2013 – Primeiro “Press Release”

Resenha: Revisitando “O OLHO DO MUNDO – A Roda do Tempo” (The Eye of the World – Wheel of Time)