D&D: Tendências: Regras para Personagens Leais e Caóticos

D&D: Tendências: Regras para Personagens Leais e Caóticos

Problema: Leal e Caótico – O Que Eles Realmente Significam?

Eu vi muita discussão nos fóruns de D&D sobre a lei e o caos – particularmente sobre como eles se relacionam aos paladinos e seus comportamentos. O que exatamente é esperado de um paladino? Que ações podem levá-lo a perder suas habilidades de classe? Eu compreendo que atos grosseiramente malignos como assassinato, mutilação, roubo e coisas do tipo violam seu código, mas e sobre o julgamento pobre que prejudica os outros? E sobre escolher se salvar do que salvar outra pessoa? Eu sei que um paladino deve se preocupar mais com o bem estar dos outros do que com o seu próprio, mas até onde vai este conceito? Eu também imagino sobre a relação do paladino com a lei. Ele precisa seguir a lei escrita? Um paladino pode ignorar uma lei injusta? -- Susan

Esta questão vai direto ao ponto sobre o que leal e caótico significam em termos de tendência, então vamos começar dando uma boa olhada nestas duas idéias.

Primeiramente, vamos deixar claro um conceito importante: Leal não significa necessariamente “seguir a lei escrita”. Uma lei (ou conjunto de leis) é simplesmente uma regra que um governo impõe naqueles que estão sujeitos ao seu poder. Uma tendência leal, por outro lado, representa uma aproximação ordeira das questões de ética e conduta pessoal. A maioria dos personagens leais respeita a ordem que as leis do reino representam, mas seguir as regulamentações locais é apenas uma maneira de demonstrar uma tendência leal.

Ser leal é ser a favor da conformidade e consistência, agir de uma maneira sistemática e uniforme, e assumir responsabilidades. Como uma pessoa leal, você estabelece padrões e precedentes e se mantém ligado a eles a menos que você possa ver uma boa razão para fazer o contrário. Eficiência metódica é o seu provérbio, e você acredita no conceito do dever. Você planeja e organiza suas atividades para atingir objetivos particulares, não apenas para satisfazer desejos impulsivos. Você acredita que existe uma maneira apropriada para cumprir qualquer objetivo, apesar de não ser sempre da maneira tradicional e testada. Da mesma forma, você cultiva relacionamentos duradouros e se esforça para construir a confiança verdadeira entre seus associados e você. Como uma pessoa letal, você reconhece que a maioria das leis tem propósitos válidos que promovem a ordem social, mas você não é necessariamente obrigado a obedecê-las ao pé da letra. Em particular, se você é bondoso ou maligno, você não respeita uma lei que é injusta e caprichosa.paladind_6742

Ser caótico, por outro lado, não significa necessariamente que você é incapaz de seguir a lei. Apesar de sociedades caóticas poderem parecer desordenadas, elas existem em abundância. Como um personagem caótico, você se dedica à liberdade pessoal e social. Você persegue seus sonhos e não tenta colocar limites em sua natureza. Você não valoriza a consistência por seu próprio fim; ao invés disso, você responde a cada situação como se você considera adequado sem se preocupar com o que você fez antes. O passado é passado e o futuro é incerto, então você prefere viver o presente. Cada situação é nova, então o planejamento e os procedimentos são inúteis – de fato, eles evitam que as pessoas reajam rápida e decisivamente. Você não se liga em relações exclusivas porque elas poderiam afastá-lo do seu destino – o que pode estar alem do seu alcance. Você sempre sta pronto para experimentar novas técnicas porque você acredita que a experiência é o melhor professor, e você aberto para descobertas.

Em resumo, o bem e o mal descrevem os ideais de um personagem, e a lei e o caos descrevem os meios que ele usa para atingir seus objetivos. A lei do estado em qualquer lugar existe provavelmente para promover a ordem social, então em termos gerais, personagens leais costumam respeitá-la mais do que personagens caóticos. Contudo, o conteúdo da lei importa muito mais do que sua mera existência.

Solução 1: Leis e os PdJs

Qualquer personagem pode temer as conseqüências de infringir uma lei local, especialmente quando as autoridades dominam com uma mão de ferro. Poucos personagens, contudo, devem fazer decisões importantes baseados somente na legalidade de suas escolhas. Para um personagem leal e bondoso como um paladino, atingir objetivos no caminho certo – isto é, em um caminho que promova o bem estar geral e não coloque os outros em perigo desnecessariamente – é a consideração mais importante. Para um personagem caótico, a ação mais expediente é geralmente a mais apropriada, seja legal ou não. Um personagem caótico e bondoso faz esforços para garantir que os outros não sejam prejudicados por suas ações, mas um personagem caótico e neutro ou caótico e maligno se importa pouco além da sua conveniência pessoal.

Solução 2: O Código do Paladino

Agora vamos falar da questão de como o código de conduta do paladino governa suas ações. Um paladino é leal e bondoso, e ele precisa sustentar ambos os aspectos de sua tendência. Assim, se as leis de um reino em particular são corruptas e malignas, ele não tem a obrigação de obedece-las.

Apesar de um paladino dever sempre se esforçar para trazer um resultado justo e direito, ele não é onipotente. Se alguém o engana para agir de uma forma que prejudica o inocente, ou uma ação dele que acidentalmente crie uma calamidade, ele pode com razão se sentir culpado. Mas ainda que ele deva tentar corrigir o que está errado de todas as maneiras, ele não deve perder seu status de paladino por isso. A intenção nem sempre é fácil de julgar, mas enquanto o coração do paladino estiver no lugar certo e ele tomar precauções racionais, ele não pode ser culpado por um mal resultado.

Deve um paladino se sacrificar para salvar os outros? Em um amplo sentido, sim, já que fazer isto é o ato derradeiro de bondade. Contudo, ele também precisa ter respeito o bastante com sua própria vida e a habilidade de ter certeza que seu sacrifício trará benefícios significativos para os outros. Um paladino que tenha a única chave para a salvação do mundo não deve se sacrificar desnecessariamente contra uma horda de orcs. Enquanto o paladino manter o bem maior em sua mente, ele está seguindo seu código.

Resumo

Quando seu personagem tem uma decisão para tomar, pese todos os fatores cuidadosamente e leve sua tendência em consideração quando for decidir o que é mais importante para ele. Resumindo, tome sua decisão, tenha uma razão para isto, mas não ligue os conceitos de lei e caos à lei da terra local.

Sobre o Autor

Jason Nelson-Brown vive em Seattle com sua esposa Kelle, as filhas Meshia e Indigo, o filho Allen, e o cachorro Bear. Ele é um Cristão renovado ativo e compromissado que começou a jogar D&D em 1981 e atualmente mestra uma campanha semanal enquanto joga outras duas alternadamente.

* * *

Salve Meu Jogo (Save My Game) foi uma excelente coluna no site oficial de D&D na época da 3ª Edição que infelizmente não está mais disponível lá. Na época, nós publicamos vários artigos traduzidos dessa coluna e agora trazemos essas traduções de volta no Arquivo REDERPG. “Tendência: Regras para Personagens Leais e Caóticos” foi publicada no antigo portal em 25 de fevereiro de 2006 e teve 2.583 leituras. A tradução é de Gilvan Gouvêa.

LEAL E BOM: Porque alguém precisa proteger a porcaria da sua vila

LEAL E BOM: Porque alguém precisa proteger a porcaria da sua vila

 

Comments

comments

Have your say!

0 0
Written by

Leave a Reply

Lost Password

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.

Pular para a barra de ferramentas