in ,

Como H. P. Lovecraft Salvou o RPG

Apesar de alguns jogadores poderem ser familiarizados com Chamado de Cthulhu (Call of Cthulhu), muitos desconhecem a incrível herança que o jogo baseado em H. P. Lovecraft legou à indústria dos roleplaying games.

Chamado de Cthulhu foi um dos primeiros RPGs a ter um legado literário. Devido à Chaosium publicar tanto o RPG quanto as coleções de ficção lovecraftiana, o jogo é tratado em pé de igualdade com os livros que os inspiraram. A Daniel Harm’s Cthulhu Mythos Encyclopaedia inclui artigos que abrangem inteiramente o catálogo da Chaosium, incluindo tanto os jogos, a ficção, e uma mistura de ambos. Como resultado, os suplementos de jogos da Chaosium têm ajudado a formar a interpretação do Cthulhu Mythos de Lovecraft pelas subsequentes gerações de jogadores.

Dungeons & Dragons deve muito a Chamado de Cthulhu. Isto é evidente em seus monstros: Carniçais, Kuo-toa (Deep Ones), Devoradores de Mentes (Cria Estelar de Cthulhu), e Pudim Negro (Shoggoth) são todos direta ou indiretamente inspirados por suas contra-partes lovecraftianas. (1)

Chamado de Cthulhu introduziu uma nova forma de interpretação nos jogos no início dos anos 1980 que era desconhecida até então: investigação. Ao invés de apenas atirar em monstros e tomar suas coisas, os investigadores eram encorajados a seguir uma série de pistas para ajudar a derrotar o vilão. Essas pistas foram se tornando mais e mais elaborados, abrindo o caminho para os LARPs (Live Actions) que usam objetos cênicos (props) da mesma maneira para representá-las.

Chamado de Cthulhu também se focava em um específico período de tempo e criou uma única e distinta identidade firmemente calcada no mundo real. Diferentemente de outros RPGs onde o Mestre de Jogo criava um mundo de sua imaginação, Chamado de Cthulhu era um tema sobreposto aos reais eventos dos anos 1920.

O jogo introduziu a noção da degeneração de um personagem. Investigadores sofriam perda de sanidade a cada encontro com o sobrenatural que eles experimentavam, e encontros suficientes assim levavam o investigador à insanidade total. Este estilo de jogo se identifica com o horror quando ele desencoraja investigar abertamente qualquer coisa desconhecida, ao invés disto encorajando uma compreensão parcial de inimigos paranormais através de pistas e dicas. Ele também fornece uma oportunidade de interpretar características indesejáveis, como a insanidade.

Na década de 1990, Chamado de Cthulhu se tornou uma sensação novamente com o advento do cenário Delta Green, da Pagan Publishing. Este cenário tirava sua inspiração das modernas teorias da conspiração, apresentando os investigadores como agentes correndo atrás de tudo, de cultos negros a OVNIs. Apesar de muitos imitadores aparecerem, o cenário Delta Green estabeleceu o padrão para os jogos de moderna teoria da conspiração e ganhou numerosos prêmios, inclusive o Origins Awards de Melhor Suplemento de RPG e de Melhor Romance Relacionado a Jogo.

Se não fosse pelos esforços de August Derleth e da Chaosium, H. P. Lovecraft talvez tivesse caído na obscuridade. Mas graças ao Chamado de Cthulhu, a estranha ficção de Lovecraft continua a influenciar RPGs, mesmo hoje em dia.

Por Michael Tresca
Tradução: Luiz Felipe Vasques
Equipe REDE
RPG

CoC 1st Ed

* * *

Para maior informação: você pode ler, em inglês, o texto original completo de Call of Cthulhu, por H. P. Lovecraft, a inspiração para o jogo.

(1) Bibliografia, pelo autor: Jacobs, James (Outubro de 2004). “The Shadow Over D&D: H. P. Lovecraft’s Influence on Dungeons & Dragons”. Dragon (#324).

* * *

O artigo “Como H. P. Lovecraft Salvou o RPG” foi publicada originalmente no antigo portal em 8 de agosto de 2009 e teve 2.983 leituras.

Deixe uma resposta

D&D 5ª Edição: Atrás dos Escudos: Mestrando na Hora do Almoço: Narrativa Compartilhada

Savage Worlds (resenha)