in

Marque seu novato: 7 coisas que o veterano espera que você saiba

Se você foi marcado no post que contém este artigo ou se ele lhe foi enviado, é porque você é um novato, certo? Existem coisas que o seu Mestre de Jogo ou seu amigo veterano gostaria que você soubesse antes de iniciar sua primeira sessão. Algumas delas estão aqui.

1 – “Leia o livro!”
Como no velho mantra racional de Tim Maia, você ouvirá muito que “tem que ler o livro”. Seja paciente com seu veterano. Ele está errado e quem diz isso é o próprio livro. Ele muitas vezes é de uma geração em que a informação só chegava por livros. Eis a verdade: espera-se que você leia as informações de sua raça e classe. Vamos lá, amigo, são apenas 5 ou 6 páginas.

2 – RPG exige comprometimento
A experiência gamer atual é fortemente baseada em jogos de tabuleiro e videogames. Em ambas você pode jogar em um dia e sumir no outro, ou simplesmente desligar o micro e ir à praia (sempre um bom conselho, aliás). Em RPG não é assim. O método de jogo mais comum é a “campanha”, onde uma série de sessões contará uma história complexa e cheia de reviravoltas. Ao assumir o compromisso de jogar, não falte às sessões. Afinal, você importa (contamos com você para destruir os planos daquele dragão vermelho, lembra?). A punição para faltas pode ocasionar…na morte de personagens.

3 – Entenda e valorize o trabalho do Mestre de Jogo
Preparar uma aventura de RPG é uma tarefa que pode levar de 30 minutos a dias (não estou brincando!) de trabalho. Pode, ainda, requerer do Mestre habilidades diversas, tais como pintura de miniaturas, desenho de mapas, criação de tabelas no excel e até gastronomia para um lanche arrumado. Enfim, o Mestre de Jogo sua a camisa e (é provável) faz um bom investimento em grana. Um bom jogador sente-se grato pelo trabalho de um bom Mestre. Se achar que deve, elogie! Parafraseando Nietzsche: “quando não valorizamos os bons mestres, eles desaparecem.” Pense nisso!

4 – Aceite a complexidade
Embora você vá ouvir de bons RPGistas que “o jogo é fácil”, saiba que isso é uma meia verdade. O RPG floresce desde os anos de 1970. Em que isso implica? Um jargão tão rico em piadas internas que, ao ouvir dois veteranos conversando sobre o jogo, você vai achar que está na sua primeira aula de Javanês. Mas tenha bom ânimo, novato! Essa fase passa logo e em breve você vai estar falando “errepegês” fluentemente e recebendo olhares estranhos ao conversar sobre RPG no metrô.

5 – Deixe a paixão por polêmicas fora da mesa de jogo
A pergunta “por que você joga RPG?” vai resultar em diversas respostas, mas há uma, creio, pacífica: jogamos RPG para fugir da realidade por algumas horas, vivendo em um mundo que tudo é possível. Bonito isso, não é? Agora imagine querer transportar insistentemente para a aventura as polêmicas do Facebook? Para ser um aventureiro que vai destruir as forças do mal com a ajuda de seus companheiros não é necessário criar uma ficha que se pareça com seu político favorito. Jogue para abstrair, abrace o onírico e deixe o textão para as mídias digitais.

6 – Seja educado
Se você, meu caro leitor, é um adulto, é provável que eu esteja apenas gastando o meu latim. Ou você sabe se comportar em público ou não sabe. Já era. Em todo caso, vamos lá, seja cortês. De um grupo de RPG saem amizades para o resto da vida.

Se jogar na casa dos outros, informe-se sobre o rateio para o lanche e não chegue muito cedo e nem tarde (pode gerar morte de personagem, ver item 2). Se jogar em local público, controle a linguagem e os gestos, pois há pessoas que não sabem o que está acontecendo.

Seja maduro o suficiente para não confundir jogo e vida real. O ladrão roubou suas moedas? Isso não quer dizer que o jogador que controla o ladrão seja um maloqueiro; o fato da moça jogar com uma barda atraente NÃO quer dizer que você pode assediá-la. No mais, use desodorante e evite deixar os dados caírem no chão (para consequências, veja item 2).

7 – RPG não é sua vida, mas apenas uma parte dela
O pior mal que um jogador pode causar a nós, enquanto comunidade, é deixar o RPG prejudicar sua vida. Nós já temos problemas demais convencendo os outros de que NÃO somos malucos. Jamais – eu disse jamais – deixe o RPG interferir com seus estudos/trabalho. Faça do RPG algo saudável para você, afinal, você vai precisar de dinheiro, porque dados e miniaturas custam caro.

Por Vinnie Pitangui
Equipe REDE
RPG

Deixe uma resposta

Podcasts brasileiros de RPG e Storytelling

Evolution Pulse: Começou a pré-venda da edição brasileira!