Bem-vindos à Era de Ouro do RPG Brasileiro (e Mundial)!

Eu sou um daqueles que sempre clamou que a década de 1990 tinha sido a “Era de Ouro” do RPG brazuca. Tínhamos GURPS, Vampiro e AD&D em português, o Encontro Internacional todo ano em São Paulo com convidado gringo, uma Bienal do Livro no Rio de Janeiro dominada pelo nosso hobby, a RPG Rio todo semestre, o RPG aparecendo no “Fantástico” (numa época em que a TV por assinatura ainda estava começando), o BBTeen (patrocinado pelo Banco do Brasil, foi o melhor encontro de RPG já feito no Brasil até os Diversão Offline), etc.

Mas eu estava errado: a melhor era do RPG brazuca começou agora! Sejam bem-vindos à Era de Ouro do RPG Brasileiro (e também do RPG Mundial)!

Impulsionado pelo sucesso mundial comercial do D&D 5ª Edição e dos streamings gringos de D&D, o RPG se tornou “pop”, com a mais recente edição do Dungeons & Dragons atingindo cifras milionárias a cada ano e trazendo artistas de Hollywood para os streamings de D&D. Os financiamentos coletivos lá foram também alcançaram cifras astronômicas, como foi o caso do 7th Sea (lançado no Brasil como 7º Mar) e do Strongholds & Followers, suplemento de D&D 5ª Edição escrito por um dos mais famosos Youtubers de D&D, Matt Colville. Além da volta do Vampiro: A Máscara em sua também 5ª Edição e o sucesso do RPGs suecos.

Todo esse sucesso mundial eventualmente chegou no Brasil, que já ia muito bem com as várias novas editoras que surgiram com base na ferramenta de financiamento coletivo. Muitos jogos nacionais excelentes e jogos que antes eram inimagináveis de serem lançados aqui, ganharam (alguns, finalmente!) suas versões mais atualizadas em português: Pathfinder, Starfinder, Chamado de Cthulhu, Rastro de Cthulhu, Shadowrun, Shadow of the Demon Lord, Mutant: Ano Zero, Numenera, The Strange, Lenda dos Cinco Anéis, Symbaroum, Awaken, Não Caia no Sono, Guerra dos Tronos, Reinos de Ferro, A Penny for my Thoughts, Blades in the Dark, 7º Mar (7th Sea), 13ª Era, Ars Magica, Yggdrasill, Pendragon, Kult, Cultos Inomináveis, In Nomine, Shotgun Diaries, Fate, Savage Worlds, Deadlands, Dungeon World, Mouse Guard, Castelo Falkenstein, etc (devo ter esquecido algum). Sem falar no maior financiamento, não apenas de um RPG, mas o maior financiamento já feito no Brasil: o Tormenta 20 anos.

Dois grandes encontros nacionais: o World RPG Fest e o Diversão Offline e o Ennie, o maior prêmio do RPG mundial, ganho pela primeira vez por um produto feito no Brasil: A Bandeira do Elefante e da Arara!

Faltava apenas a volta ao Brasil dos dois gigantes da história do RPG Brasileiro, D&D e Vampiro, e eles finalmente voltaram pela Galápagos Jogo!

Se até o ano passado tínhamos essa imensa diversidade e qualidade nunca antes vista por aqui, o leque agora se completa com o recém-lançado D&D 5ª Edição, cujo Livro do Jogador se esgotou em algumas horas (calma, você ainda pode comprar nas lojas oficiais que receberão o livro, e o anúncio do Vampiro: A Máscara 5ª Edição para ano que vem!

Com tantos motivos para comemorar e opções para se jogar, falta apenas conseguir muito dinheiro para comprar tanta coisa maravilhosa!

Sejam bem-vindo à festa! Sejam bem-vindos à maior e melhor era do RPG Brasileiro!

Por Marcelo Telles
Editor da REDE
RPG

Share This Post

Leave a Reply